Harry Potter e a História do Amor

Não é daquele clichê que as pessoas geralmente falam quando acabam de ver essa história que eu vim dizer aqui hoje. Vim dizer que eu entendo como você se sente Rowling, não digo que entendo o que vi pela história que você contou, mas pelo sentimento que quer passar.

O machismo de hoje em dia não nos deixa perceber o quanto sua obra é prima e simples. Saí do cinema e ouvi que aqueles beijos foram muito frouxos, mas entendo perfeitamente as borboletas que há dentro do coração quando você faz algo que quer fazer, que deixa as barreiras de lado e se deixa levar, que deixa de seguir o que a cabeça diz e segue o que o coração sente, e minha amiga, isso lindo.

O mais fascinante dessa vida é a forma do amor, ele é infinito, entende? O amor faz coisas inexplicáveis com nós mesmos, prega peças, ri da nossa cara, nos deixa loucos, nos leva às profundezas do nosso oceano que são os pensamentos.
Nascemos todos exatamente iguais, com nossas cabeças puras, com um mundo a descobrir, o mundo sim é lindo e precisa ser descoberto de todas as formas possíveis, amar qualquer coisa, mas como eu disse, o amor nos leva às profundezas, há quem nasce sem amor alheio, sem o apoio de viver, sem ninguém para te olhar e dizer: “vai fundo, segue o que o coração”, há quem nos faz pensar que o amor existe, só não querem que você acredite.

Vivemos em um mundo injusto e nós mesmos o deixamos assim. É infinito o modo de sentir qualquer tipo de sentimento, e o amor é simplesmente o mais complicado de se lidar. Quando você ama, você quer desejar o melhor para o universo. Quando você não ama, você quer que tudo se exploda e que se foda o resto. Jogue a primeira pedra a pessoa que não quer se sentir amado, jogue a primeira pedra aquele que não se sente completo fazendo aquilo que ama, aquele que prefere o ódio ao amor.

Mas o amor nos deixa louco, nos faz mentir para nós mesmos, nos faz guardar aquele sentimento dentro do coração e o faz parecer frio, sem nenhuma emoção, mas que na verdade, no fundo no fundo, você é mais fraco que tudo, você não ama pouco, ama pra caralho, não ama pela metade, ama até dizer chega e me diga, para que guardar tudo isso? é lindo isso, consegue ver? ou até sentir? Pare de ser duro com você mesmo, deixe o que os outros falem, deixe que pense o que quiserem, ninguém entende você do que você mesmo. Ninguém sabe a dor que você guarda no coração.

E o mais importante de tudo, os amores que você encontra pela vida, deixando em cada uma delas um pedaço de sua alma, cada pessoa que você ama é uma horcrux, e o único modo de você ser derrotado é destruindo cada uma delas, mas calma, não vai aparecer nenhum serial killer na sua vida e matar todo mundo, enquanto você existir (e até quando você não existir mais), será lembrado para sempre, dentro do coração de cada um que foi amado por você e isso é lindo.

talvez essa seja a vantagem de ser invisível, você sente o que a pessoa sente, sabe o que ela quer expressar quando ela não consegue expressar, entende o que ela quer passar através de uma história fantástica e mágica, isso está bem além de efeitos especiais e palavras escritas em sete livros, isso é uma história simples de amor e o amor é infinito.

Anúncios

sobre ninguém entender nada a partir da meia noite e nove

incomoda,
o mundo está desmoronando e eu fico parado no canto olhando, o que se passa na minha cabeça: vazio que não era eterno, colocaram um vazio aí e não acho mais as peças do quebra cabeça para montar de novo, aliás, algum dia já deixaram eu montar esse quebra cabeça de mais de um trilhão de pecinhas?

um dia desses eu vi um filme que é um dos meus favoritos pelo simples detalhe: o cara era cego.
porque diabos um cara cego (e fictício) vai me deixar inquieto antes de dormir? ai que está a magia, ele nunca viu o mundo desconfigurado como realmente é, ele nunca viu a cor amarela, nunca viu um peixe, nunca viu o rosto de alguém, a única coisa que ele consegue ver é o amor e nota: essa é a única coisa que você não precisa ver para entender o que é. você só sente lá no fundo e não há do que sentir-se vergonha disso, isso que é o grande enigma que eu morrerei sem saber da resposta, do que você tem medo? do que você tem vergonha? tantos presentes atoa, mas nenhuma cortesia dita, nenhum “obrigado por ficar aqui”, nenhum “parabéns” que realmente venha da porra do coração, agora me diga maldito deus, porque é tão dificil assim? porque você arrancou o amor das pessoas? você é tão egocêntrico: “amar a deus sob todas as coisas”, primeiro mandamento, lembro muito bem dos dias da catequese, você faz as pessoas mandarem flores para as outras no dia em que elas morrem como uma forma de “lembrança”, “memorial”, quem disse que eu vou estar ali para chorar quando receber flores? quem disse que meu coração ai encher de lágrimas, mas vai se misturar com um sorriso inocente e verdadeiro?
você precisou deixar um menino cego para ver o verdadeiro amor, sendo que é bem mais fácil ignorar totalmente o ódio, a raiva e a porra do machismo, foda-se. chega, estou me mudando pela milhonésima vez que na verdade eu nunca me mudo, sempre sou o mesmo, mas quem liga na verdade né, quem não é egocentrico igual a voce, quem não é tão importante quanto voce não é. mas olha bem, lhe ofereço um foda-se, vou amar sim, mesmo se eu precisar acordar cego amanhã, pelo menos o que os olhos não veem o coração não sente e esse vai ser meu lema para o resto da vida, essa palavra que vai estar escrito em todos os lugares quando eu morrer, porque essa que vai ser a consequencia do meu amar: puta, ele me amou de verdade.

e pra finalizar a noite e começar a vida de novo e de novo e de novo e de novo:

Estou me mudando, mais uma vez, eu acho.

Para a casa ao lado, talvez, ou a 377 km daqui, isso importa? Os motivos? Os mesmos de sempre não é Paulo… Sempre a mesma desculpa do sono e cansaço. Mas a verdade é que estou cansado já, era para tudo ter mudado, mas nada mudou, por mais que eu entenda que nada funciona dessa maneira.
Estou me mudando, e esses vizinhos são um saco, não acho que devo morar mais nessa vizinhança. Eles cantam canções que eu já não aguento mais ouvir, eles tem suas malditas tradições que somente nos diferem. Não ha mais motivos para eu ficar aqui, estou indo embora, mas não levo minhas malas, estou indo embora e achei melhor deixar para trás quem eu fui, ou as velhas mascaras que eu criei.

Ah! E mais uma coisa, estou indo embora e não deixei meu endereço na geladeira, talvez eu não queira que me mandem mais correspondências, ou talvez eu queira que me encontrem nesse mundão perdido por ai em um bar rindo, ou lendo em uma praia, talvez você venha me encontrar, ou talvez deixe para lá, não vou me importar, ou eu finja não importar, tudo bem, estou i do embora…

Joker: Eu não quero te matar, você me completa!!!

Imagem1

Batman é o cérebro de Gotham, o comandante, qualquer parte que haja influência ou algum tipo de proximidade terá de enfrentar o cavaleiro das trevas.

Mas em como toda história de super-herói (que pensam em salvar tudo quando querem e como querem) há os vilões, aqueles que arrasam de todas as formas o espertinho de toda essa besteira. O caos, a única carta do baralho que chama a atenção de todos, mas que é ignorado por todas as outras daquela maldita prisão chamada caixa, onde se guarda os restos dos outros baralhos. O caos.

E como todo presidiário há o desejo de ser lembrado, de ser tirado daquela caixa, de ser livre novamente, mas como em toda história de super-vilões, há os heróis (que mais uma vez pensam que ajudam em alguma coisa) que basicamente vivem em enfrentar que o caos seja livre.

E sempre haverá essa luta diária entre Batman e Joker, a luta que nosso coração sente em ser livre contra os pensamentos, que por sua vez, insistem em prender qualquer tipo de sentimento. Nunca entendi na verdade qual foi o problema que o Batman encontrou no pobre Joker. Será na bagunça que ele faz e não arruma? Ou o caosque ele deixa quando finalmente está livre? O.K. Isso não importa, o que realmente importa é que: eu não quero que você morra… Você me COMPLETA!

Com amor, Charlie

Ei velho amigo.
Peço desculpas por ter sumido sem ter dado notícias de por onde andava, do que fiz nessas horas e dias e semanas que não mandei mais cartas, mas finalmente resolvi dar as caras, porque achei que fosse necessário.
Por onde eu começo? Conheci gente nova? Estou trabalhando? Estou de férias, mas minhas aulas já começam a uma semana, há mudanças em casa que serão meio punk para eu dar conta. Quer saber, isso não importa agora, quero que você ouça uma música que o outro namorado da minha irmã colocou nas suas playlists melancólicas, mas que eu achei muito boa e que me fez entender muito sobre o que está acontecendo nos últimos dias:

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer

Devia ter arriscado mais e até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer
Queria ter aceitado as pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar…

Devia ter complicado menos, trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos com problemas pequenos
Ter morrido de amor

Queria ter aceitado a vida como ela é
A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar…

Devia ter complicado menos, trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr.

Não sei se você já ouviu, mas ela é minha favorita, até encontrar outra que eu goste mais ainda.
Mas o que eu quero perguntar a você é: consegue me entender? consegue ver como eu sou? sou uma grande interrogação para os outros e principalmente para mim mesmo. Deveria ter amado mais, claro que deveria! Me diga qual é o problema em deixar sentir o amor até pelos amigos? Corações partem, mas que isso não seja motivo para não amar mais, certo? Sinto pena da Sam e do Patrick, ensinaram tanto a compartilhar que fico me prendendo meu coração a sentir demais, será que eles já perceberam isso? Espero que ainda há tempo de eu fazer alguma coisa a respeito disso, não quero afastá-los como tinha feito com outros amigos. Eles são importantes, faria por eles mil vezes, sem querer devolução alguma, ser exatamente como Hassan foi para Amir, mas que Amir não seja tão besta como ele foi e perceber quando as coisas são feitas de coração, por mais simples que forem.

Percebi que não há vantagens em ser invisível e sinto muito mesmo pelo Patrick ter me dito isso, não gosto da ideia de entender todos ao meu redor, até de quem eu não conheço eu entendo, mas são coisas de que eu já senti alguma vez e vejo essas pessoas sentindo o mesmo e por alguma razão eu não quero lembrar de ter sentido assim, ou problemas que consigo sentir sem jamais ter sentido, entender a angustia da pessoa e senti-la também e isso não é nenhum pouco legal, isso não é um dom como Patrick tinha dito, mas gostei dele ter me dito isso, é como se ele tivesse me visto, por mais invisível que eu tenha sido esse tempo todo, ele encontrou em mim o mais de diferente que eu possa ser, e pelo que eu vejo, com esses dons de ser invisível, ele não vai a lugar algum, por mais merda que eu seja, e é isso que eu o mais admiro.

Mas já está na hora de eu ir, vou me encontrar com eles de novo, e tentar toda hora mostrar quem eu sou de verdade, errar mais, me importar menos, com problemas pequenos, morrer de amor, e por fim, claro, ver o sol se pôr.

Com amor, Charlie

64 Conselhos realmente úteis (que ninguém dá)

Filosofia Animada

Que o mundo não é colorido, acho que você sabe. Mas que as pessoas gostam de enfeitar, ahhh.. isso gostam, poucas as pessoas que sabem como dizer as verdades quando realmente precisamos ouvi-las.

#1

Pessoas que ferram qualquer um, vão mais que provavelmente pisar na sua cabeça pra ferrar qualquer um. Afaste-as da sua vida.

01b

#2

Algumas pessoas acham normal te julgar… tente não ser como elas. E as ignore.

03

#3

As coisas mais bonitas da vida são inúteis.

04

#4

Não force seus amigos para as suas coisas… Deixe que eles busquem e gostem se quiserem.

05

#5

Ninguém se importa com as duas semanas que você “viveu” na America/Europa/Asia… Pare de ficar se gabando.

06

(“Na Europa as pessoas peidam por trás”)

#6

Filmes pornô e Disney, são responsáveis pelos seres humanos mais frustrados que conheço. 

QzG4V

(“Cade a porra do meu principe encantado?” – “Cade a porra da minha vadia insaciável?”)

Ver o post original 862 mais palavras

I just want to spend the rest of my life laughing

(eu só quero passar o resto da minha vida rindo)

Mas acho que esse é um preço muito alto a se pagar, não quero rir dos vídeos engraçados que tem no youtube ou das pegadinhas do faustão quando eu não estou feliz ou incomodado com alguma coisa, a vida é uma beleza já perceberam? (quem ainda não, por favor assista Elizabethtown) é a beleza mais encantadora que eu já vi, a vida é bela, cada um tem seu modo encantador de vivê-la, mas tem as pessoas que ainda não enxergaram isso, que não viram o amor que tem em se viver, de acordar pela manhã e rir de um pesadelo, olhar no espelho e rir do cabelo que está bagunçado, de rir de uma pessoa que você brigou ontem, de rir quando você falha, a vida sempre pode ser assim, mas sempre existiu alguém que não entende e não está se importando com os pensamentos positivos (ou negativos) dos outros, sempre houve aquela pessoa que você vê pelo olhar que não está sendo o suficiente e ainda se é trouxa de querer insistir naquilo que nunca foi.

eu só quero passar o resto da minha vida rindo, o motivo? nunca houve um, só queria rir mais.